Descolamento de Retina

deslocamento-retina-001

O descolamento ou deslocamento de retina é uma doença grave, relativamente comum, e pode deixar sequela importante. O tratamento é quase sempre cirúrgico, e o diagnóstico quanto mais precoce e a cirurgia o mais rápido possível, melhor o resultado.

Existem pessoas predispostas, que são as com história familiar de descolamento de retina, prematuros e míopes. Isso ocorre porque essas pessoas tem a retina mais fina e sensível.

Quando inicial pode não ter sintomas, mas ao progredir pode ter baixa visão, flash luminosos, perda de campo de visão, “moscas volantes”.

Visão de paciente com descolamento de retina
descolamento-retina-002

Diagnóstico:
- Realizado pelo oftalmologista durante a consulta e/ou  pelo exame de ultrassom ocular.


Prevenção:
-
Evitar traumas oculares
- C
uidados com esportes radicais com movimentos bruscos (bungee jump e paraquedas, queda livres em parque de diversão)
-
Controle de diabetes melitus
-
Consulta regular em oftalmologista quando pertence ao grupo de risco

descolamento-retina-003
Esportes radiais com movimentos bruscos aumentam os riscos de descolamento de retina

 

descolamento-retina-004
Fotocoagulação a Laser

Tratamento:

Laser: indicado nos casos em que o descolamento de retina ainda não ocorreu, mas sim lesões que predispõe como rasgos retina, degenerações ou rotura de retina. O laser impede que o liquido do olho entre através do buraco ou rasgo e daí descole a retina.

Vitrectomia: quando a retina já descolou e necessário cirurgia.
Temos basicamente 2 tipos:
-
Retinopexia com introflexão escleral: para casos mais simples e menos grave.
-
Vitrectomia via pars plana: o cirurgião injeta um gás (C3F8) ou uma camada de óleo de silicone dentro do olho para manter a retina colada e evitar novo descolamento. O óleo exige uma segunda cirurgia para retirada.